Dieta para Engravidar Rápido - Alimentação para Engravidar

Dieta para Engravidar Rápido – Alimentação para Engravidar

dieta-e-fertilidade

Dieta e Fertilidade

Pensando em tentar ter um bebê? Vamos encarar os fatos, a dieta não pode garantir o seu sucesso em ficar grávida, mas pode aumentar as chances de se conseguir a gestação, otimizando sua saúde e melhorando seu estilo de vida.



Em um estudo da Universidade de Harvard, quando os pesquisadores acompanharam 17.000 mulheres ao longo de oito meses, eles descobriram que as mulheres que adotaram apenas algumas mudanças na dieta, incluindo a redução de certos tipos de gorduras alimentares, aumentando a ingestão de frutas e vegetais e a diminuição de substâncias como cafeína e álcool, aumentaram suas chances de gravidez muito além daquelas que não fizeram nenhuma alteração. Motivo suficiente para dar-lhes uma chance!

Avaliar a sua dieta irá ajudá-lo a desfazer quaisquer hábitos alimentares pouco saudáveis, colocando-a em melhor forma para o resto de sua vida.

dieta-e-fertilidade

Dicas para a futura mamãe

Incluir vitaminas do grupo B

Todas elas são importantes, embora o ácido fólico em particular seja crucial para a formação saudável e encerramento do tubo neural do bebê (entre o cérebro e medula espinhal). Para ajudar a prevenir defeitos do tubo neural, como a espinha bífida, é recomendado que as mulheres tomem um comprimido de ácido fólico de 800mcg diariamente por pelo menos quatro semanas antes da concepção e durante pelo menos 12 semanas da gravidez. Ele é encontrado em alimentos como morango, espinafre, brócolis, laranja, grãos integrais, legumes e cereais matinais fortificados.

Consumir carboidratos de baixo IG (índice glicêmico)

Estes alimentos são digeridos lentamente, o que induz um aumento lento do açúcar na corrente sanguínea. Isto, por sua vez, controla a liberação de insulina, o que pode ajudar os hormônios sexuais, tais como estrogênios, para regular de maneira adequada a ovulação. Para obter os benefícios, troque o seu pão branco por pães integrais, e consuma cereais e frutas.

Manter um IMC de 20-25

Manter o peso significativamente acima ou abaixo de sua faixa de peso saudável não é uma boa ideia: o excesso de peso pode afetar os sinais hormonais para seus ovários, podendo causar excesso de produção de hormônios masculinos e interromper a liberação de óvulos. Por outro lado, estar abaixo do peso também pode causar efeitos graves.

A boa notícia é que apenas cinco por cento de perda de peso corporal pode aumentar a fertilidade. Deve-se consumir proteínas ricas em ferro, como carne, frango, peixe, ovos e legumes, e alimentos ricos em cálcio, como leite, iogurte e queijo, os quais fornecem peças essenciais para preencher o quebra-cabeça da fertilidade.

Reduzir o consumo de gorduras trans

alimentos-com-gorduras-transUm estudo feito pela Escola de Saúde Pública de Harvard mostrou que mulheres que consomem altos níveis de gorduras trans em sua dieta correm um risco maior de infertilidade. A gordura trans aparece principalmente em bolos, tortas prontas, biscoitos, pizza, batata frita, donuts, molhos e outros alimentos processados. É ideal trocar esses alimentos por outros ricos em ácidos graxos essenciais, tais como peixes, frutos do mar, ovos, óleo de linhaça, óleo de canola, nozes, sementes e grãos de soja.

Dicas para o futuro papai

Equilibrar a dieta

Uma dieta saudável é constituída por um conjunto complexo de nutrientes, vitaminas e minerais. É praticamente impossível apontar um nutriente que detenha a chave para a fertilidade masculina, no entanto, estudos têm mostrado que maus hábitos alimentares podem reduzir a quantidade e a qualidade dos espermatozoides produzidos.

Combinar vitamina C e licopeno

Combinando licopeno – potente antioxidante encontrado no tomate e produtos à base de tomate, como molhos e pastas – e vitamina C – encontrada em frutas frescas, legumes e saladas – pode-se ajudar a aumentar os níveis de espermatozoides em homens inférteis, além de prevenir defeitos espermáticos, e até mesmo ajudar no movimento dos espermatozoides.

Reduzir o álcool e a cafeína

Beber ocasionalmente não traz maiores riscos à saúde, mas estudos têm comprovado que o consumo regular de cerveja, vinho ou qualquer outra bebida alcoólica, pode reduzir a contagem de esperma e aumentar a quantidade de esperma anormal.

Os efeitos da cafeína são menos claros, mas é sugerido que você limite o seu consumo a não mais do que duas bebidas ricas em cafeína por dia – incluindo café, chá forte de folhas (incluindo o chá verde) e refrigerantes.

Incluir zinco e selênio

Estudos sugerem que estes minerais ajudam no crescimento e desenvolvimento saudável dos espermatozoides, por isso inclua alimentos ricos em zinco, como carne vermelha magra, peixe, frutos do mar e legumes (como o feijão), além de alimentos ricos em selênio, como a castanha do Brasil, fermento, gérmen de trigo e lagosta.

Suspeita-se que é apenas uma a deficiência de zinco pode reduzir os níveis de testosterona e volume de sêmen em homens.

Créditos: www.dicasdevida.com.br

←Mais de Dicas
Back to Top